Penhor: como e onde fazer

Publicado:

O penhor ou penhora de bens é uma modalidade de crédito em que o interessado não enfrenta muita burocracia e ainda consegue o dinheiro bem rápido. Ele não exige que o cliente comprove renda, e nem consulta o seu CPF junto aos órgãos de proteção ao crédito, permitindo que qualquer pessoa maior de 18 anos faça a contratação.

Sendo um empréstimo bem simples e muito vantajoso, ele é uma ótima opção para quem precisa de dinheiro rápido. Porém, deve ser tomado com cuidado, para que não haja prejuízo.

Saiba como funciona a penhora de bens e descubra como e onde fazer este empréstimo.

Como funciona o penhor

No penhor, o interessado no crédito deve possuir um bem valioso, que pode ser uma joia, um relógio, uma caneta de luxo, pratarias, entre outros objetos de valor. Ele leva este bem até uma casa de penhor regulamentada, e lá, o objeto é avaliado, para que se descubra qual o seu real valor.

Assim, o cliente pode pegar emprestado até 85% do valor do bem, no entanto, deve deixar o objeto lá até pagar toda a dívida. Apesar disso, o dinheiro sai na hora, e não há a necessidade de comprovar renda ou fazer uma análise de crédito.

Vale saber que, normalmente, o prazo para pagar pelo crédito tomado é bem curto, podendo variar entre um e quatro meses. Além disso, tratando-se de um empréstimo, há a incidência de juros, que não costumam passar dos 2% ao mês.

Vale a pena penhorar?

Ao pensar no penhor como uma forma de conseguir dinheiro, deve-se considerar alguns pontos importantes: embora o crédito saia rapidamente e não tenha muitas exigências pra ser tomado, o não pagamento da dívida pode acarretar na perda do bem, assim como acontece em um empréstimo com garantia.

Desta forma, é preciso se planejar financeiramente antes de tomar qualquer decisão, principalmente ao se lembrar de que o prazo para pagamento é pequeno.

Esta modalidade de empréstimo vale a pena para quem precisa pagar uma grande dívida em pouco tempo, porém, deve ser tomada com cautela, para não resultar na perda do objeto de valor.

3 passos para penhorar

Confira abaixo três passos para conseguir dinheiro penhorando um bem.

1. Encontre uma casa de penhor regulamentada

No Brasil, o único banco onde os clientes podem fazer penhor é a Caixa Econômica. Os bens dados como garantia ficam guardados em um cofre com o banco, e o cliente pode renovar o seu contrato quantas vezes precisar. É possível, ainda, conseguir até 100% do valor do objeto, mas para isso, é preciso receber o salário na Caixa.

2. Leve os documentos necessários

Apesar de não fazer análise de crédito e não pedir comprovação de renda, alguns documentos ainda são solicitados para que o empréstimo seja liberado. Leve com você o seu RG, CPF e um comprovante de residência. É importante que o seu CPF esteja em situação regular, não podendo estar suspenso, cancelado ou pendente de regularização. E não esqueça de levar o bem para fazer a troca!

3. Tenha o crédito aprovado

Depois da avaliação do objeto, escolha um prazo de pagamento bom para você, de acordo com a disponibilidade do banco. Assim, você receberá o dinheiro na hora. Ao terminar de pagar o empréstimo, basta ir até a agência onde foi feito o contrato e recuperar o bem.

Qual o valor do bem

Quando o bem é avaliado, a sua aparência não é considerada, mas sim o seu peso em metal precioso. Caso você leve uma corrente e ela esteja quebrada ou com pedras soltas, não se preocupe, pois isso não influenciará no valor. Além disso, outro fator considerado também é a cotação de ouro no mercado no momento da avaliação.

Os bens valiosos mais utilizados no penhor são joias, diamantes, pérolas e pratarias. Relógios e canetas de luxo também podem ser usados, porém, devem possuir um alto valor.

Contrate o empréstimo pessoal online

Algumas empresas oferecem a contratação de empréstimo pessoal totalmente online. A KeroGrana é uma delas, com taxas de juros que começam em 2,97% ao mês. Como todo o processo de contratação é feito online, os documentos devem ser enviados digitalmente, seja fotografados ou digitalizados, em boa qualidade e sem partes cortadas ou ilegíveis. São eles:

  • RG ou CNH;
  • Comprovante de renda;
  • Comprovante de residência (conta de água, luz, telefone, gás ou fatura do cartão de crédito em seu nome).

Também é preciso tirar uma selfie no momento de solicitação para comprovar sua identidade, e assinar um contrato digital ao fechar negócio.

Veja também!