• Home page
  • >
  • Blog
  • >
  • Como fazer um empréstimo com restrição no nome

Como fazer um empréstimo com restrição no nome

Publicado:

Ficar com o nome sujo pode acontecer com qualquer um, principalmente quando não há uma organização financeira adequada ou acontece um imprevisto que exige mais dinheiro do que se realmente tem. Quem fica com restrição no nome encontra dificuldades na contração de linhas de crédito, seja um financiamento, um empréstimo pessoal ou um cartão de crédito.

No processo de contratação do crédito, a maioria das empresas credoras faz uma análise de crédito, consultando o CPF do interessado e conhecendo o seu perfil e histórico financeiro. A restrição no nome é indicada nesta análise, o que não é considerado um bom sinal, uma vez que significa que o cliente é um mau pagador. Em outras palavras, esta condição representa um risco de inadimplência à empresa credora, que pode não liberar o dinheiro.

Desta maneira, é importante limpar o nome o quanto antes, para não ter mais restrições. Se você precisa de dinheiro para regularizar a sua situação, mas não sabe onde conseguir crédito para negativado, conheça algumas alternativas para resolver este problema e contratar o crédito necessário.

1. Empréstimo pessoal online

O empréstimo online é uma modalidade de empréstimo que pode ser contratada de maneira 100% digital. Todas as etapas da contratação são feitas online, desde a simulação, o envio dos documentos necessários e a assinatura do contrato.

Uma das empresas onde se pode achar um empréstimo pessoal online para negativado é a FinanZero, que traz ao interessado diversas ofertas de crédito. Outra empresa é a Serasa eCred, que, assim como a FinanZero, indica ofertas de diferentes instituições financeiras ao interessado.

2. Empréstimo com garantia

No empréstimo com garantia, também chamado de refinanciamento, o tomador apresenta um bem de valor como garantia de que o empréstimo que está sendo tomado será pago. Caso o pagamento não seja feito ou renegociado, a empresa credora tem o direito de tomar o bem e leiloá-lo para compensar o pagamento da dívida.

Por essa razão, algumas empresas disponibilizam o crédito até mesmo para quem está com restrição no nome, uma vez que têm uma garantia de recebimento do valor empréstimo de volta.

As modalidades mais conhecidas são o refinanciamento de imóvel e de veículo. Deste modo, é possível pegar valores de até 80% do imóvel ou carro, de acordo com os critérios da instituição financeira escolhida.

Além disso, é importante que os bens que foram dados como garantia estejam quitados, caso contrário, eles não poderão ser utilizados na negociação do crédito. Embora alguns bancos permitam que o carro ainda esteja alienado, essa não é uma prática muito fácil de ser encontrada.

3. Empréstimo consignado

Sendo uma das linhas de crédito mais baratas que existem, o crédito consignado pode ser contratado até por quem está negativado, uma vez que é pago por desconto em folha de pagamento. Ou seja, o valor destinado para o pagamento da dívida não chega a ser recebido pelo contratante do empréstimo, que tem este valor descontado diretamente do seu salário ou benefício.

Para pegar este empréstimo, é preciso ser aposentado ou pensionista, funcionário público ou trabalhador de carteira assinada. Nestes dois últimos casos, é preciso, ainda, que a empresa empregadora tenha convênio com algum banco ou instituição financeira que comercializa este tipo de crédito.

Vale saber que não são todos os bancos que aprovam o consignado para quem está com restrição no nome, podendo variar de banco para banco.

4. Penhor

O penhor ou penhora de bens é uma boa opção para quem precisa de dinheiro rápido. Nele, o interessado vai até uma casa de penhor e apresenta um bem valioso, como uma joia ou um relógio. Este bem é avaliado e trocado temporariamente por parte do dinheiro de avaliação. Ao quitar a dívida, o tomador recupera o bem.

Este tipo de empréstimo não pede comprovação de renda e nem faz uma análise de crédito, permitindo que os negativados também consigam fazê-lo. Além disso, tem curto prazo para pagamento e uma baixa taxa de juros, não passando de 2% ao mês, normalmente.

Embora seja uma boa alternativa, é preciso tomar cuidado com o penhor: como o prazo para pagamento é pequeno, caso o contratante não consiga pagar neste período, ele corre o risco de perder o bem que foi trocado. Por isso, antes de solicitar o crédito, se organize financeiramente para não ter um prejuízo.

5. Consórcio

Há ainda a opção do consórcio, que, diferente das demais opções citadas, não é um empréstimo e não garante dinheiro ao negativado. Porém, com ele é possível conseguir um bem ou um serviço, e não é preciso estar com o nome limpo para participar de algum grupo.

Nesta modalidade de compra, um ou mais participantes são sorteados a cada mês e conseguem uma carta de crédito para comprar o bem ou serviço desejado, de acordo com o contrato feito.

Apesar da pessoa que está com o nome sujo conseguir participar de um consórcio, ao ser contemplada, ela deve estar com, no mínimo, 70% da dívida no Serasa paga. Caso contrário, ela pode apresentar um fiador para retirar o bem, ou seguir as orientações da própria empresa administradora.

Tenha como comprovar renda

Mesmo existindo possibilidades de crédito para quem está com o nome nos órgãos de proteção ao crédito, em muitas delas, a comprovação de renda ainda é necessária. Se este for o seu caso, não deixe de reunir os documentos necessários para comprovar a sua renda, como holerites ou extratos bancários, se você for um trabalhador autônomo.

Vale saber, ainda, que os empréstimos específicos para negativados possuem taxas de juros altíssimas, que tornam o pagamento muito maior do que o valor que foi emprestado. Sabendo disso, não deixe de renegociar os seus débitos, procurando resolver a situação o quanto antes e ter o seu nome limpo.

Veja também!